Quinta-feira, 28 de Agosto de 2008

Há reparos que merecem ser agradecidos...

Há obrigado(s) que são necessários... | obrigado Jorge e Carlos

 

Os rapazes que apenas com 1000€ partiram em busca da "pura aventura" e chegaram a Dakar, com esta quantia que ninguém pensaria levar tão longe.

 

Mas eles, Jorge e Carlos, chegaram!!

 

Quanto ao que me leva a escrever este pequeno post, e para os que me lêem percebam, eles corrigiram um erro crasso que se encontrava no meu blog.

 

E olhem que há erros que não têm sequer explicação...

 

Merecem, por isso, todos os obrigado(s). Por isso, agradeço-vos rapazes pelo reparo feito.

 

Espero que não levem a mal a colocação do vosso "header" aqui no meu blog.

 

A vocês, também, obrigado por me entenderem merecedor da vossa "amizade" nesta esfera.

 

Abraço e vão dando notícias!

 

TMA 

a viagem: ,

publicado por Aubigné às 21:00
link do post | comentar | favorito

Há momentos assim...

Há momentos em que mais vale... | Bem! Sigamos...

 

É o trabalho, são as confusões...é tudo no fundo...

 

Escrevemos quando podemos e às vezes parecemos uns verdadeiros "calões", mas não estou a ser, pelo contrário.

 

Não tenho Internet e a que tenho é no computador e local de trabalho e aqui a coisa é "preta" para se estar na Net sem se estar a trabalhar...

 

Por isso e como acho que vos devia esta pequena desculpa pelo o tardar das postagens, faço-o de forma mais formal...

 

Aqui fica!!!!

 

Tentarei colocar mais um pouco da aventura à medida que vou conseguindo aceder a computadores com Internet...mas como não quero descurar da qualidade e da completa informação sobre cada dia que passei, vou tentar ser muito cauteloso e cuidadoso.

 

Obrigado pela compreensão,

 

TMA

a viagem:

publicado por Aubigné às 12:37
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 27 de Agosto de 2008

LONDRES - 18º Dia

Londres | 19 de Maio de 2008

 

Mais um dia entre lá (Amesterdão) e cá (Londres), multiplicado por dois, por duas cidades, uma de manhã outra à tarde, assim foi durante um mês.

 

Mas repare-se que foi isto que durante um mês eu quis fazer, com muito prazer preparava uma mala para partir e abria a mala para começar a usufruir de cada momento que cada cidade tinha para me dar. Apenas havia que aproveitar...

 

Neste dia pouco fiz por Londres.

 

Foi um dia que passou a correr, mais por ter chegado já tarde, de mala grande às costas, e mala pequena ao peito. Com elas segui à procura de uma denominada Bolsover Street para tal quando cheguei ao aeroporto de Gatwick apanhei o comboio que partia de Victoria e fui até à primeira paragem onde se fazia transbordo com o metropolitano londrino (...o grande metropolitano de Londres! Aquele o mais velho!).

 

Cheguei a Oxford Circus daqui, passando pela Oxford Street e pela Great Portland Street fui dar ao meu alojamento. Um hostel, praticamente, novo da cadeia Hostelling International.

 

Cheguei ao quarto, um pequeno quarto, com uma camarata de 4 pessoas onde fiquei com um Alemão, um Norte Americano e um Londrino (mas de traços orientais). Assim que vi o Londrino, levantou-se "hirto que nem uma barra de ferro" e deu-me um passou bem, o mesmo aconteceu com os outros dois colegas, todos muito novinhos ao pé de mim, quase já era pai deles. A velhice, a velhice! hehe!

 

Já depois de ter ido às compras, fui para o bar/lounge e enquanto apreciava tudo o que girava ao meu redor dei conta da existência de "compatriotas" brasileiros (no que concerne ao idioma)...e assim, não tardou muito e fiquei a conhecê-los...dali até ao meu último dia de estada em Londres foram companheiros e peras...5 tipos excelentes...

 

Fui descansar...porque amanhã será um dia para tentar ver o maior número de atracções possíveis.

 

12 momentos por Londres:

 

Será que eles pensam que nós não sabemos para que lado devemos olhar...mas é uma óptima ideia, muito deste civismo falta no nosso país...certo?

por: TMA 05/2008

 

Eis o Metro/Tube/Underground! Este era um dos bonitos exemplares só de chapa, mas ainda existiam carruagens mais antigas e velhas...

por: TMA 05/2008

 

Como não poderia deixar de ser, afinal de contas elas são um ex-libris desta cidade

por: TMA 05/2008

 

Palácio de Buckingham - a casa da realeza inglesa e mais dois exemplares, um Land Rover do lado esquerdo e um táxi tipicamente inglês

por: TMA 05/2008

 

O render da guarda, fiquei tanto tempo à espera destes campeões, bolas...sabiam que se faz este render porque, segundo se diz, a Rainha vem dizer adeus à janela do Palácio de Buckingham e levanta as saias, tiram-lhe o anão que lá foi colocado à um dia e meio e deitam-no num poço com um dragão, e voltam a colocar-lhe por lá um novo e depois é repeat...joking

por: TMA 05/2008

 

Entrada do Madame Tussaud's o mais conhecido museu de cera

por: TMA 05/2008

 

Dentro do Madame Tussaud's, esta é a palma da mão do Michael Jackson e a sua respectiva assinatura (sei que ele é esquisito e joga do lado contrário...epá! Mas foi ele que fez um vídeo clássico chamado: Thriller

por: TMA 05/2008

 

Mais uma foto tirada no Madame Tussaud's por um chinês excelente...na primeira vez bloqueou-me a máquina fotográfica sem que eu perceba como, na segunda tirou-me esta foto desfocada comigo entre a Cameron Diaz e Julia Roberts

por: TMA 05/2008

Eu e o José Mourinho, possas ele era treinador do FCP, clube com que eu menos simpatizo, a seguir ao Benfica claro...mas é o José Mourinho muito bem estirado e reproduzido em cera

por: TMA 05/2008

 

A BANDA...com ar e cabelinhos à bimbos, foram os maiores, ainda hoje o meu cabelo está quase igual ao deles...acreditem

por. TMA 05/2008

 

Estive no museu dedicado a este excelentíssimo senhor na cidade em que pairei antes de vir aqui parar (Londres)...e sua terra claro

por: TMA 05/2008

 

(à semelhança de Amesterdão, também as fotos dos posts de Londres, não vão corresponder ao efectivamente descoberto e visitado nos dias referidos em epígrafe.)

 

obs: a todos os que acompanham o blog ficam as mais reiteradas desculpas pela lentidão com que tenho postado, mas não tenho net neste momento. Vou, contudo,  tentando, enquanto não soluciono esta situação, alimentar da melhor forma possível este blog. Bebam dele por favor. hehe!

a viagem:

publicado por Aubigné às 21:39
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 20 de Agosto de 2008

Por Amesterdão foi assim...

Há sempre quem acabe por abrilhantar a nossa passagem | ...ou torná-la mais especial

 

Como aconteceu em todos os outros locais por onde passei até agora, Amesterdão não foi excepção. Também por aqui conheci mais pessoas que tornaram especial a minha passagem por esta terra de diversão constante e que nunca foi por mim considerada uma das passagens mais desejadas.

 

Como já referi conheci, desde muito cedo, sem dar conta, a Viviane e o Luciano porque ela me pediu para tirar uma foto antes de partir de Berlim para Amesterdão, junto ao avião da Transavia.

 

Dois brasileiros julgo que ambos jornalistas, já de uma idade diferente da minha, mas nada velhos e que andavam a passear pela Europa...ambos gente excelente e alegríssima, aliás, à semelhança de todos os brasileiros.

 

Conheci também o já jovem adulto da Grécia, John Konstantinou que tinha vindo de Atenas e que se encontrava ali em Amesterdão numas conferências sobre áudio, que estavam a decorrer no Van Gogh Museum. Segundo ele, a gastar todo o dinheiro de que dispunha, mas não queria deixar de fazer aquela viagem e, pelos vistos, fez.

 

Para além dele conheci ainda o grupo de brasileiros de que vos falei no dia 18 de Maio, as minhas últimas horas por Amesterdão...de entre os quais figuravam 4 raparigas e 3 rapazes, sem contar com a Viviane, o Luciano e eu.

 

Para além disso acrescento a Joana, rapariga portuguesa (miúda nova) que trabalhava na Wok to Walk e um rapaz novo que, enquanto fui dar uma volta de comboio para dar uma vista de olhos pelos arredores de Amesterdão, entrou na paragem do aeroporto de Schipool, era natural de Lima, capital do Peru e estava a fazer escala em Amesterdão pois tinha vindo de Taiwan. 

 

No dia em que me preparava para ir para Londres, dia 19 de Maio de 2008, enquanto lavava, pela primeira vez uma parte da minha roupa na lavandaria do hostel StayOkay Vondelpark, apanhei um conjunto de older's Australianos, mas com um espírito magnifico que se encontravam a lavar também a roupa deles dado que iam partir para Hamburgo logo de seguida.

 

De entre eles retive um contacto de um escritor australiano Frank Ainslie, certamente não será muito conhecido senão não estaria ali no hostel (poderá não ter nada a ver)...mas se vocês vissem o espírito daqueles jovens muito adultos, vocês ficariam surpreendidos, eram no total 6 pessoas, três mulheres e três homens, divertidíssimos.


publicado por Aubigné às 20:25
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 19 de Agosto de 2008

AMESTERDÃO - 18º Dia

Amesterdão | 19 de Maio de 2008

 

Estes foram os meus últimos momentos por Amesterdão, toda uma manhã passada numa lavandaria a lavar a roupa de 17 dias atrasados.

 

Vou poupar-vos a pormenores, ou não?! Não...

 

Calças de ganga muito russas...e não vou continuar...mas o que importa é que a higiene diária nunca foi descurada, por isso, sempre limpíssimo e a roupa interior sempre muito limpa, dada a quantidade que acabei por levar desta.

 

Foi nesta Laundry que conheci um grupo de older's australianos, mas que vida a daqueles senhores e senhoras...um deles sentou-se a meu lado e falámos descontraidamente sobre tudo (eu falei com todos, mas foi este aquele com quem mais falei)...era escritor...Frank Ainslie...falar-vos-ei mais deles num post sobre os dos...conhecidos por Amesterdão.

 

Esta estada na lavandaria com seis máquinas, três de lavar e três de secar, foi óptima. Já se encontrava cheia às 10h da manhã, hora da abertura, já se encontravam lá os Australianos, mas estava cheia de uma roupa muito heterogénea que era...advinhem de quem/onde? A roupa do hostel e a dos Australianos.

 

Tinha pela frente 2h para as duas máquinas e 6,50 € gastos.

 

Ora, pouco tempo depois de estar na lavandaria e de já ter privado um pouco com os colegas australianos entra uma "figura" pela lavandaria a dentro, uma senhora com um ar estranho que saca de um rádio daqueles portáteis o q.b., liga-o à corrente, dentro de um saco trazia mil CD's (exagerando), algo diversos, mas com a devida predominância de um músico de que eu não me lembro o nome (um artista dos anos 70). Colocando um CD desse artista dentro do respectivo compartimento, coloca aquilo em altos berros e literalmente pôs-se a cantar também em altos berros...foi assim durante 1h30m, no mínimo...enquanto essa senhora esvaziava as máquinas que tinha enchido, colocava mais roupa e dobrava aquela que já estava pronta...toda a manhã nisto...

 

Isto é a mais pura das verdades...entretanto os meus "compinhchas" australianos partiram para o seu destino seguinte Hamburgo e eu lá fiquei.

 

Depois da roupa lavada, seca e colocada dentro da mala, desci até ao lounge, coloquei a mala num cacifo e fui almoçar. Onde? No Wok to Walk (adorei esta cadeia e conceito).

 

Já atrasadíssimo, fui ao hostel, ao tentar retirar a mala do cacifo, esqueci-me da password (a velhice é tramada...possas!), tive de recorrer aos serviços da recepção para a sacar lá de dentro. Escrevi os postais a correr (única vez em que se deu este fenómeno...), coloquei-os dentro de um marco do correio dentro do hostel e pus-me a andar...

 

...de "Tram" até à Central Station. Destino aeroporto de Schipool...

 

No aeroporto eu comecei a adoptar a postura de ficar sempre sentado no chão enquanto esperava um voo, que saudades tenho desses momento...mas vão voltar a acontecer...certamente.

 

(parece que me estou a ver, sentado no chão a olhar para o ecrã do aeroporto de Schipool, já no corredor de embarque à espera de saber qual a porta de embarque correspondente ao meu voo, tudo para poder partir em direcção a Londres...em muito isto me define! Eu acho...desculpem a imodéstia)

 

...últimos momentos na DisneyLandia para adultos (Amesterdão):

 

Eu na ponte Franz Hendriksz Oetgenbrug e lá atrás a Magere Brug um ex-libris...olhem para esta pose...tchhhh

por: TMA 05/2008

De novo, para não ser repetitivo, junto ao dique que dá acesso à Magere Brug...numa pose muito melhor

por: TMA 05/2008

Eu no Nieuwe Markt, claramente com ar de mal disposto...hehe (não sei porquê! Tenho é a certeza de que, fosse lá o que fosse, não merecia tal indisposição)

por: TMA 05/2008

O madretsma I de novo...e eu ali pelo meio encostado...

por: TMA 05/2008

Um prédio com uma construção e portadas exteriores ex-libris da cidade de Amesterdão...fica na Prinsengracht

por: TMA 05/2008

Uma...não...duas bicicletas altamente personalizadas por Amesterdão...aqui é assim...mas também não é por acaso que esta é a cidade da Europa em que mais se roubam bicicletas...e em que mais se utilizam como meio de transporte.

por: TMA 05/2008

Este foi o único local na Holanda que sofreu um ataque no decorrer da II Guerra Mundial, destruindo-se o prédio que aqui se encontrava de pé. As autoridades Holandesas entenderam que não se deveria construir outro prédio neste espaço e, em vez disso, optaram por construir esta fachada que tem a seguinte inscrição no topo: "HOMO SAPIENS NON URINAT IN VENTUM", escusado será replicar o que a mesma quer dizer...vejam o espírito...excelente

por: TMA 05/2008

 

 

Mais um conjunto de cinco postais enviados, quentinhos, de Amesterdão para Portugal...este foi o conjunto que escrevi mais á pressa, dado que estava em cima da hora para ir a correr para o aeroporto de Schipool apanhar avião para Gatwick-Londres, depois de ter passado a manhã na lavandaria do hostel, escrevi-os a correr no lounge...para...

 

...a minha mãe, Ritinha, Ana Sofia, Margarida e eu...aqui fica a sua face. 

 

Eis o postal enviado a partir de Amesterdão.

 

a viagem:

publicado por Aubigné às 16:01
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 18 de Agosto de 2008

Coisas pequenas...com grande significado

Sei que para vocês que lêem ou vêem este blog o que agora passo a escrever terá pouco significado, ou não! Mas para mim, acreditem, faz todo.

 

Este blog começou por ter hipoteticamente, no máximo, 31 posts (...na minha imaginação, há data da sua criação!), tantos quanto o número de dias que durou a minha viagem pela Europa.

 

Contudo, encontro-me aqui hoje a escrever o 33º post, vocês poderiam argumentar, então mas isso é frustrar expectativas, se calhar o blog tornar-se-ia muito mais interessante se tivesse apenas 31 posts. Não sei!

 

O que vos posso dizer é que, mesmo que ele contenha muitos erros, esteja mal escrito, tenha uma má organização...ele não deixa de ser fruto de uma vontade muito grande que eu tinha de escrever esta minha experiência e colocá-la ao dispor de todos aqueles que a queiram um dia repetir, de entre os muitos que já fizeram algo igual ou semelhante.

 

Digo, por isso, que foi impossível não citar aqui aqueles que fui conhecendo em viagem, aqueles que sendo de Portugal, me acompanharam sempre, aqueles que mesmo não me acompanhando eu fiz questão de lhes dar a conhecer o desafio, aqueles que inesperadamente estiveram sempre comigo (na net, por telemóvel, na minha cabeça, na minha consideração, no meu coração, etc.).

 

Foi também imprescindível fazer com que sempre que eu acedesse a este blog tivesse a sensação de que ele se identificava muito comigo e daí, desde o mais simples grafismo que lhe foi, desde início inculcado, melhorei-o com uma imagem que só à pouco tempo percebi que está incompleta, com outras que trabalhei e com alguma música que fui ouvindo em viagem.

 

Mas tudo isto não teria sido possível sem vocês que, mesmo só sendo "três", têm tornado possível este feito.

 

A todos vocês o meu obrigado.


publicado por Aubigné às 14:27
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 17 de Agosto de 2008

AMESTERDÃO - 17º Dia

Amesterdão | 18 de Maio de 2008

 

Mais um dia, mais uma volta, mais uma ficha...Amesterdão.

 

Esta cidade é um espanto embora eu coloque sempre a tónica de achar que ela está feita para os visitantes/estrangeiros, não para os locais...

 

Este foi um dia mais solarengo por Amesterdão, ainda assim foi um dia algo frio.

 

Da parte da manhã, fui pela Spui Strasse, passando pela Raadhuis Strasse para chegar à Prinsengracht onde se encontra a famosa casa de Anne Frank (Huis), depois ainda passei pela Noorder Kerk e depois, um pouco perdido, porque também sabe bem perdermo-nos, fui acabar na Brouwersgracht onde tirei aquela foto daquela montra cheia de queijos.

 

Depois fui acabar a manhã na Dam Rak (depois de passar por Korte Prinsengracht, pela Haarlemmer Strasse, pela Nieuwenduk e finalmente Dam Rak). Ainda dei, por isso, mais uma volta pelo centro da cidade, acabando por ir almoçar onde?

 

De novo no adversário de peso do palhaço alegre. É verdade. (Estão a contar?!)

 

Neste dia, depois do almoço, ainda fui dar uma volta pelo quarteirão dos museus onde se pode encontrar o Rijks Museum, o Van Gogh Museum, outras atracções como o I amesterdam, depois fui à antiga fábrica de cerveja da Heineken, actualmente desactivada, mas que ainda se pode visitar para ver como é feita a cervejav - esse liquido dos deuses. Passei ainda pelo Albert Cuyp Markt, passei pelo Nederlandse Bank, pela Magere Brug (ponte), passei pela Waterloo Plein, pela Sinagoga Portuguesa em Amesterdão, pelo Muziektheater, pelo Rembrandt Huis, chegando ao Nieuwe Markt.

 

Regressei ao hostel e foi ali que conheci a maior comunidade de brasileiros de toda a viagem, cerca de 8, comigo 9, entre raparigas normais e profissionais, foi excelente o convívio durante parte da tarde e noite, tão porreiro que ia perdendo a noção de que precisava de jantar...entre eles estavam a Viviane e o Luciano (...estes já os tinha conhecido muito antes, aliás a Viviane e o Luciano já tinham vindo comigo de Berlim, mas eu não tinha dado conta. Ela até me pediu à saída de Berlim para lhe tirar uma foto junto ao avião da Transavia...coincidências!?).

 

Entretanto parei a meio o bom convívio para ir jantar, dado que já não comia à muito...e acreditem não fui comer ao palhaço alegre...em vez disso fui comer a uma cadeia de restaurantes que eu não sei se já existe por Portugal - Wok To Walk - é muito bom e se não existe tem de pelo menos abrir um para eu ir lá comer. Aquilo é comida chinesa feita à nossa frente, em ponto rápido...dá para levar ou para comer no restaurante...e é barato. Melhor do que isto, e para melhorar ainda a noite, foi ficar a saber que uma das raparigas que servia lá no Wok to Walk era portuguesa - a Joana - perguntei-lhe porque trabalhava ali e ela respondeu: - porque numa semana aqui ganho o mesmo que num mês ganharia, a fazer o mesmo, em Portugal. Percebem porque é que somos pobres...ela trabalhava a servir num restaurante, não era ilegal e ganhava o quádruplo de um português que faça exactamente o mesmo, ou seja, ela se quiser ser uma viajante talvez possa fazê-lo sendo mais livre que eu...ganha mais!!!

 

Regressei de novo ao hostel e, como tinha combinado com eles, ficámos na conversa até cerca da 1h da manhã.

 

Chegada a hora de dormir porque amanhã é dia de ir para uma das maiores cosmopolitas da Europa - Londres. Tampões nos ouvidos e como não ia logo de manhã...

 

...mais momentos por Amesterdão:

 

 

Rijks Museum - Amesterdão

por: TMA 05/2008

 

I amesterdam em frente ao Rijks Museum e ao lado do Van Gogh Museum, este é um ex-libris de Amesterdão...eu, embora não se veja, estou dentro da bolinha do d (hehe!)

por: TMA 05/2008

 

...eu não sou pessoa de me ficar por uma, de novo o I amesterdam...e aquele que está sentado na bolinha do d...sou eu

por: TMA 05/2008

 

No lago em frente ao Rijks Museum a fazer uma pose...nada de viajante até agora...

por: TMA 05/2008

 

Agora já no Van Gogh Museum que é no mesmo local do anterior, aliás a este espaço em Amesterdão chama-se o quarteirão dos museus, porque será?

por: TMA 05/2008

 

De novo no Van Gogh Museum agora ao lado de um Outdoor com o artista...e que grande pintor...esta já do lado da entrada do museu

por: TMA 05/2008

 

Mais uma foto no quarteirão do museus...que foto hem!

por: TMA 05/2008

 

A fábrica de cervajas da Heineken em Amesterdão, nesta foto está a parte antiga da fábrica que se encontra desactivada mas serve de ponto turístico para quem visita a cidade. Fica mesmo em frente a um dique...conhecem a Heineken? hehe!

por: TMA 05/2008

 

obs-...por entre o grupo de brasileiros houve várias dicas que me foram dadas para ver e quando ver em Londres determinados ex-libris, dado que havia quem tivesse vindo de lá no dia anterior.

a viagem:

publicado por Aubigné às 19:04
link do post | comentar | favorito
Sábado, 16 de Agosto de 2008

AMESTERDÃO - 16º Dia

Amesterdão | 17 de Maio de 2008

 

Esqueci-me de referir no post anterior que logo no primeiro dia por Amesterdão conheci o Luciano Dias e a Viviane, ambos brasileiros. Ele estava a dormir na camarata em que eu fiquei...e aproveito para acrescentar, antes de partir para o dia 17 de Maio, que Amesterdão foi das cidades em que estive mais sozinho (sei que se trata de um redundância dado que viajei sozinho! hehe)...embora tudo viesse a mudar nas últimas horas por lá.

 

Este foi um dia excelente e acrescento que com a cidade de Amesterdão é fácil criar-se uma rápida e gira empatia...

 

Hoje dediquei-me aos monumentos e ao sexo, vi praticamente todos os principais monumentos de Amesterdão, fui a um dos museus do sexo, fui ver sex shop's e fui ao Red Ligth District.

 

É espantoso como numa cidade é possível conciliar-se o sexo, com a droga e a party all nigth long e, como se não bastasse tudo é permitido. Enfim, trata-se verdadeiramente de uma Disneyland para adultos.

 

Fui desde cedo passear, passei pelo mercado das flores, Munttoren, pelo museu de história, pelo Madame Tussauds de Amesterdão, National Monument, Nieuwe Kork, Koninklijk Paleis e, finalmente, o Red Ligth District. Tinha de ser, claro...

 

Apontamento: em Portugal existem as castanhas dentro do típico cone que, agora já não podem ser dentro do papel das Páginas Amarelas, lá é o mesmo mas com batatas fritas...vocês não imaginam o tamanho daquilo e a quantidade absurda de maionese.

 

O Red Ligth District:

 

A qualquer hora do dia, mas especialmente de noite, aquele espaço é uma verdadeira animação, para cada lado que olharem vêem sempre mulheres a cativarem-vos para entrar pelas suas montras a dentro, quer sejam vocês homens ou mulheres. Obviamente que aquele é um espaço mais frequentado por homens.

 

Mas o que me deixou estupefacto é que imaginava aqueles espaço como algo deteriorado, com mulheres com mau aspecto, mas não!

 

Há lá prostitutas que são mulheres giras, fiquei estúpido com a beleza de algumas, com o silicone de outras e com piroseira e falta de beleza das restantes, que com o dedo indicador nos chamam para entrar na sua cabine...

 

Imaginem isto na vossa cabeça quer seja ela perversa ou não (hehe!)...um conjunto de ruas esguias cheias de cabines ou montras com mulheres lá dentro, cá fora um  monte de homens e algumas mulheres, elas (as mulheres) seminuas a fazerem-vos o sinal com indicador de venham cá falar comigo, um cheiro exorbitante a "ervas daninhas" vindo das coffee shop's ou daqueles que as fumam no meio da rua e, como se não bastasse, sempre que algum homem se dirigia a uma porta de uma prostituta que lhes acenava com o dedo e, caso ele aceitasse o preço que ela havia estabelecido, eis que se fechava a cortina da montra em que ela estava...se lá passassem uns minutos depois já estava de novo aberta...eis o conceito do que é "lucrar".

 

Não levem a mal esta descrição, mas é que o Red Ligth District é mesmo isto...tanto que saindo daquele espaço tudo regressa à pacatez, como se nada acontecesse naquelas paredes meias. Abundam as Sex Shop's por aquele local.

 

Têm de lá ir...vão gostar...é incrível como a prostituição é levada como algo normal ali é encarado, claramente, como um negócio, em que até as prostitutas me parecem escolhidas a dedo para posarem por trás daqueles vidros.

 

Voltando à pacatez...na minha camarata estava um tipo que ressonava tão alto, mas tão alto que até a própria namorada que dormia na cama debaixo do beliche em que eles estavam tinha de bater com o pé (mas ao pontapé!!) para ver se o tipo parava um bocadinho. Eu como vos disse levei uns tampões que reduzem a emissão de ruídos no decurso da noite...ouvia-o mas muito ao longe.

 

Fiquei a saber do fenómeno pelo meu colega Grego que estava a ver-se grego para dormir por causa disso, mais à frente falar-vos-ei dele...

 

E acabei por jantar. Onde? Não desta vez não foi no palhaço alegre, foi num adversário de peso...(por isso podem juntar à conta).

 

Dei mais uma volta pela cidade à noite e regressei ao hoste, fui para a cama escrever, ouvir musíca e dormir.

 

...mais 8 momentos por Amesterdão:

 

Um memorial, verdadeira obra de arte...e aquele lá no meio com mais ar de gaseados que eles sou eu...vejam a capinha

por: TMA 05/2008 

Eu na entrada do Theater Tuschinski é lindíssimo

por: TMA 05/2008

Eu no SEXMUSEUM...o que eu fui ver, porque há mais...e o Red Ligth District está minado de sexo...como já disse cumpri a regra de não se tirar fotos lá

por: 05/2008

Dentro do SEXMUSEUM...há é verdade não vou colocar aqui imagens pornográficas, mas tenho algumas

por: TMA 05/2008

Dentro do SEXMUSEUM existiam uns telefones e muito mais coisas verdadeiramente obscenas...mas é impossível vir a esta cidade e não vivê-las ao máximo...a propósito as raparigas ao meu lado são mesmo de verdade, não são de cera

por: TMA 05/2008

As referências ao amor e ao Peace & Love são tão grandes que nem este casalinho de patinhos resistiu a fazer um ninho dentro de um pneu, num dos muitos diques de Amesterdão...o amor é lindo...digam lá? É ou não é?

por: TMA 05/2008

Eu em Amesterdão...hehe!

por: TMA 05/2008

Este jogo de Xadrez/Damas é um ex-libris de Amesterdão, tinha de passar por ele todos os dias para poder ir para o hostel, ou para o centro da cidade...tinha sempre um cheirinho tão activo a "ervas daninhas", mas jogava-se a sério...e tinha muita, muita claque

por: TMA 05/2008

 

a viagem:

publicado por Aubigné às 18:59
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 13 de Agosto de 2008

AMESTERDÃO - 15º Dia

Amesterdão | 16 de Maio de 2008

 

Um voo pela companhia aérea Transavia que como já referi partiu com quase uma 1h30 de atraso, foi um voo todo feito por entre nuvens. logo foi "cinzentinho"...eu acabei por ficar num dos lugares da frente do avião e o Gaston ficou num dos lugares de trás.

 

Aqui vamos nós atrás de um dos maiores e mais sofisticados aeroportos - o Schipool em Amesterdão - e de uma das cidades mais loucas e mais livres do mundo...

 

Venha de lá Amesterdão...

 

No dia da chegada pouco consegui fazer, assim que pus os pés em Amesterdão, a não ser:

  • apanhar o comboio desde o aeroporto de Schipool para a "Central Station" de Amesterdão;
  • a chegada à "Central Station" é sempre um momento a recordar, não só pelo número de bicicletas paradas em mais do que um andar (imaginem um parque de estacionamento de automóveis, na vertical, em Portugal. É isso mesmo, mas para bicicletas) e depois porque nos deparamos com as famosas "Coffee Shop's", mas é que é logo!!!
  • tudo isto acompanhado pelo Gaston que foi comigo apanhar o "Tram" (elétrico), outra coisa incrível é que foi o próprio  condutor do "Tram" que me convenceu a não comprar bilhete só por perceber que eu era estrangeiro, excelente;
  • Entretanto o Gaston saiu e desde então nunca mais o voltei a ver...
  • chegado ao meu local de paragem - O Vondelpark - percorri o caminho que tinha de percorrer para chegar ao hostel, ainda tive de andar um pouco com 20 quilos às costas ou em cima;

Este hostel fica inserido numa zona verde da cidade de Amesterdão muito bonita, o ambiente é óptimo e o asseio é relativo, assim como a simpatia do staff, enfim, nada comparado com a cadeia anterior de hosteis (entre Viena e Berlim).

 

Mas fora de críticas, numa tarde chuvosa por Amesterdão, parei um pouco pelo hostel para descansar e rapidamente retomei energias para começar a caminhar...ainda fui visitar uma das principais avenidas de Amesterdão (Liedse strasse)...tudo com o objectivo de ir jantar!

 

Enquanto fui dar esta volta passei pelo Mercado das Flores, pela Munttoren, vi logo pelo menos 5 diques (não fosse a Holanda a cidade construída abaixo do nível do mar), o Hard Rock de Amesterdão, o jogo de Xadrez e Damas em frente ao mesmo, o único sítio da Holanda que foi bombardeado no decorrer da II Guerra Mundial, muitos urinóis públicos ao ar livre, muita diversão, muita gente com fuminhos mandados para a testa e, para além de muito cheirinhos a ervas especiais dado o número de "Coffee Shop's" , tive de necessariamente de passar pelo Vondelpark (o hostel era lá dentro).

 

E adivinhem onde Jantei? (estão a contar?)...no palhaço alegre mais uma vez, é verdade!

 

Depois disto acabei por, mais hora, menos hora ir descansar...

 

Obs: Eu sou um "Straigthedger", não fumo, não bebo (a não ser que me apeteça muito...) e não me drogo...pelo menos não até agora...logo estou mal para as "Coffee Shop's".

 

Obs1: Como curiosidade, Amesterdão é a cidade com maior número de roubos de bicicletas, vocês não imaginam o número e a quantidade de bicicletas que existem nesta Cidade construída acima do nível do mar!!!!

 

Obs2: Devo dizer-vos que até gostei de Amesterdão num primeiro contacto, mas tenho pena que aquilo de que ouvimos falar que esta cidade é seja mais vivido por estrangeiros e imigrantes do que pelos locais. Isso desvirtua a clara razão de ser de uma cidade, país ou nação.

 

Obs3: Há...e não dêem demasiada importância ao facto de andar de capa azul por Amesterdão, sei que pareço um "alien", mas estava a chover e fazia muito frio em pleno Maio, eu como não tinha chapéu de chuva andava, por opção, a fazer figuras...mas pouco me importa. Como por vezes parava de chover e eu não tinha paciência para tirar a capa, estive com ela quase sempre vestida.

 

9 momentos que refletem a minha estada em Amesterdão:

 

Edifíco da Central Station (Station Plein) - Principal estação de caminhos de ferro de Amesterdão (é pena mas encontrava-se em obras a rua à sua frente não permitindo tirar fotos em condições)

por: TMA 05/2008

DamRak - principal venida de Amesterdão, aqui a uns passos do lado direito desta foto é o "Red Ligth District". Antes de se chegar aqui vindo do Vondelpark temos de passar pela avenida Rokin e por aquela que vai dar o Vondelpark a avenida Leidse. (enfim todas avenidas muito movimentadas)

por: TMA 05/2008

Construção tipíca de Amesterdão, muito engraçada e original

por: TMA 05/2008

Reparem no quão direito este prédio foi construído, aquele corcunda ali a segurar no prédio sou eu com ar de Notre Dame

por: TMA 05/2008

Entrada do Vondelpark, principal parque da cidade de Amesterdão. O hostel é na parte de dentro deste jardim

por: TMA 05/2008

 

O Hostel - StayOkay Vondelpark...e eu...

por: TMA 05/2008

 

Mercado das Flores, aquela bonita torrezinha lá atrás é um ex-libris da cidade de Amesterdão (Munttoren)

por: TMA 05/2008

 

Mais um Hard Rock, este o de Amesterdão...vi tantos, hehe!

por: TMA 05/2008

 

Tanto queijo e com tão bom aspecto, numa pequena lojinha, numa rua muito secundária de Amesterdão (deu para ficar esquecido ou isso era do cheiro a fuminhos que vinha das "Coffee Shop's"

por: TMA 05/2008

 

Obs4: nem todas as fotos expostas neste post correspondem ao que visitei ou ao que vi neste dia à chegada...nem nos outros posts sobre Amesterdão corresponderão.

 

Obs5: eu optei por não tirar fotos do "Red Ligth District", mas fui lá ver, para ver com os meus olhos aquela realidade. Não tão chocante como se possa pensar...foi no segundo dia que visitei o Distrito Vermelho. hehe!

 

ps- nunca tinha escrito um post com tantas observações...

a viagem:

publicado por Aubigné às 21:35
link do post | comentar | favorito
Domingo, 10 de Agosto de 2008

Pessoas...

Reflectir momentos para além dos vividos em aventura | as pessoas são muito importantes...

 

É tempo de reflectir um pouco sobre as pessoas, aqui referi, já, por várias vezes aqueles que fui conhecendo no decorrer da minha viagem e ainda conheci mais...mas houve aquelas que de certeza nunca me deixaram sozinho, mesmo que tenha sentido, por vezes, muito neste estado de espírito! Embora saiba que é um sentimento que faz parte da natureza destes eventos extraordinários e que, em certa medida são eles, que apimentam e tornam aliciantes estas aventuras de quem dá tudo por uma aventura, mais do que por uma viagem.

 

Não quero que, de forma alguma, aquilo que agora passo a escrever pareça um daqueles chavões já muito badalados, pois escrevo-o do fundo do meu coração, sem intenções demagogas e, pelo contrário, escrevo-o porque é aquilo que sinto.

 

Embora pareça que estou num tom mais sério devo dizer que escrevo este post com muita alegria e com um sorriso grande nos lábios.

 

Várias vezes o referi quando escrevia os postais por cada local por onde passava. O quê?

 

Porque houve, de certeza várias pessoas que me acompanharam e estiveram comigo desde o início do meu périplo...mas certamente houve duas que estiveram sempre, sempre comigo.

 

E por isso...

 

À minha mãe a quem agradeço pela preserverança (não sou muito o protótipo do "filho da mamã", mas tenho de reconhecer que ela esteve sempre lá...como aliás esteve sempre e é hábito!), adoro-te mãe. Muito poucas vezes lhe disse isto pessoalmente, por isso, aqui fica para ti este sentimento lindo, de mim para ti.

 

À Florinda que sei que esteve sempre comigo, deu-me sempre uma força enorme desde o início e se não esteve mais foi porque não pôde, porque não surgiu oportunidade...sei o quanto gostaria, ela própria, de viver uma aventura idêntica pela sua maneira de ser e feitio. Muito obrigada Florinda...o quão gostava que escrevesses coisas ou fizesses comentários no meu blog...despreocupa-te com o teu português e escreve.

 

A vocês agradeço a força para seguir e o renascimento de um sentimento novo em mim, ou seja, há laços que se estreitam e que fazem de pequenos momentos os melhores e maiores momentos da nossa vida.

 

Obrigada a vocês...hoje que celebrei os 15 dias de viagem...metade do percurso realizado...já mais perto de Portugal de novo em termos geográficos...a partir de agora, infelizmente, começo a descontar. Oh! hehehe!


publicado por Aubigné às 12:40
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 8 de Agosto de 2008

BERLIM - 15º Dia

Berlim | 16 de Maio de 2008 | ...uma continuação do dia 15 de Maio

 

E o  mais curioso foi que assim sucedeu, eram sete da manhã e estávamos ambos acordados, prontos para tomar o pequeno-almoço e partir para o campo de concentração...isto já no dia 16 de Maio...

 

Tudo isto a correr, para que pudéssemos, ainda antes de partirmos para Amesterdão, ver o "campo", mas lembrámo-nos de perguntar ao staff o que achavam da nossa ideia e foi então que saímos frustrados...

 

Segundo a rapariga que nos deu as dicas sobre o campo de concentração disse o seguinte:

Um campo de concentração não é para ser visto numa hora, tirar uma fotografia por lá e ir embora, é mais um espaço de recolha em que o principal objectivo é perceber o mal que ali se fez para, desta forma, não mais voltar a outro ou aquele "campo". Há alguma razão nisto...

 

Frustradas as nossas expectativas, arrumámos as malas e surgiram-nos duas ideias: a primeira) foi que de facto é verdade e é uma apreciação muito plausível; segunda) ou então é marketing para voltarmos um dia mais tarde a Berlim (...e não se perde nada por lá voltar...). Obviamente que apostámos na primeira opinião.

 

Sendo assim ficámos a "ver passar o navio" no hostel até à hora de partida para o aeroporto, para embarcarmos no avião da "Transavia" que nos levaria até Amesterdão.

 

Eu aproveitei para escrever postais, mais cinco...para ir à net, ver uma última vez e em ponto rápido Berlim e pus-me juntamente com o Gaston a caminho do aeroporto.

 

Grande champ o Gaston...

 

Nota: este foi um dos voos que mais se atrasou, tivemos, por isso, de esperar na zona de embarque cerca de 1h30 depois da hora prevista para partirmos...mas foi uma aventura, aliás como sempre...

 

ainda, como garantido, mais 7 momentos por Berlim:

 

 

Pietá de Berlim - muito bonita

por: TMA 05/2008

 

Fotografia tirada por mim, torta por isso, do lado direito temos um edíficio em construção, naquele espaço existiu um edíficio ao qual este que está em construção será igualzinho, depois de muito se ter discutido o que colocar naquele espaço de Berlim; ao centro a torre de TV de Berlim e, por último, do lado esquerdo estão a ver a linda catedral de Berlim

por: TMA 05/2008

 

Esta era a entusiasmante guia em Berlim, só visto, mas foi excelente a sua exposição sobre esta cidade...dos mais loucos, experimentem!!!!

por: TMA 05/2008

 

Rio Spree...

por: TMA 05/2008

 

Eis o semáforo com personalidade que só existe no lado oriental da cidade de Berlim, do lado ocidental é diferente...este é muito louco...aqui o verde para os peões

por: TMA 05/2008

 

...o semáforo vermelho para os peões...também muito louco

por: TMA 05/2008

 

A minha camarata por Berlim, num hostel espectacular...aquele ali é mesmo o meu pé...

por: TMA 05/2008

 

O postal escrito foi este que se segue:

  

Eis o postal enviado a partir de Berlim, com a diferença de que os que enviei para mim e para a minha mãe, no fundo o que aparece na imagem, é diferente dos outros três que enviei...um beijinho para todas vocês!

a viagem:

publicado por Aubigné às 19:47
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Quarta-feira, 6 de Agosto de 2008

E porque continua!? ...Kate e Gaston

Um pouco mais sobre a Kate e o Gaston | foram uns porreiros enquanto estive em Berlim

 

Este post, como não podia deixar de ser, porque já vem sendo prática deste blog, é dedicado a todos aqueles que conheci por Berlim. Eles foram, também, os grandes responsáveis por tornarem a minha estadia nesta cidade e nas outras muito mais interessantes e ainda mais interessantes.

 

A Kate que já venho referindo desde Viena, foi uma australiana que conheci porque ficou a dormir no meu quarto nas duas últimas noites de Viena e por coincidência as datas em que íamos estar em Berlim e Paris coincidiram...mais nova que eu, muito alegre, pequenina, desengonçada, mas muito desajeitada...mas muito, muito querida...uma simpatia de pessoa.

 

O Gaston, era um jovem Argentino residente e instrutor de Sky nos Andes,  que ficou a dormir na camarata com outros três parceiros, entrando com toda a força no meu segundo dia de estada em Berlim...pessoa muito proactiva...a ele devo-lhe o ter conhecido uma "winery" em Berlim em que o preço para beber toda a noite era somente 1 euro e por ter conhecido, ainda bem, as três lindíssimas espanholas que já vos referi, das quais com pena minha não consegui tirar fotos.

 

Em Berlim ainda conheci da parte do staff do hostel uma miúda excelente que trabalhava na recepção, o brasileiro - Victor - e o Canadiano - Mark, com quem ainda fui a "Pub Crawl", mas depois optei por ir com o Gaston ao sítio onde se gastava menos.

 

A vocês obrigado pela a excelente e agradável companhia que me permitiram ter.

 

(dedicado à Kate...que infelizmente não mais consegui contactar, mesmo tendo tentado enviar-lhe um mail e duas sms's...)

 

(quando escrevi este post ainda não tinha recebido resposta da Kate a um mail que lhe tinha enviado, mas na data em que este post surgir no blog. Enfim, recebi uma resposta, um mail hilariante que ela me enviou...dizia já estar casada (hehe!)...ela que me parecia uma australiana aventureira. Era apenas uma piadola, óbvio! Granda miúda!)

 

(...este é, infelizmente, um post em que não posso colocar fotografias, porque não tirei fotos deles, com muita pena minha...aliás eu tirei poucas fotos ás pessoas que me acompanharam, até a mim mesmo me esqueci de tirar (hehe!)...estava sozinho não se esqueçam!)


publicado por Aubigné às 15:32
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 4 de Agosto de 2008

BERLIM - 14º Dia (Parte 2)

Berlim | 15 de Maio de 2008 | Parte 2 | a continuação...

 

Sempre quis fazer uma coisa deste género. Algo em que colocasse a palavra continua...e aqui fica a outra parte acerca da minha estada em Berlim.

 

Depois da Kate ter ido...continuei a tour por Berlim, passando por várias praças conhecidas de Berlim onde se encontram bonitos monumentos da cidade de Berlim, depois passámos à praça da universidade e por fim acabámos o nosso périplo de volta à Praça da Catedral de Berlim.

 

A nossa guia era muito expansiva e por isso dinamizou muito bem a volta a pé que fizemos por uma parte da cidade de Berlim...

 

Quando esta acabou pus-me a caminho do hostel, onde fui descansar um pouco...ia para fazê-lo e chegou o Gaston dizendo que iria sair à noite se eu queria ir...mas também o Victor (rapaz brasileiro) e o Mark (rapaz canadiano) me perguntaram se eu queria ir ao "PUBRAWL", bom eu reparti-me em dois e fui aos dois convites.

 

Assim começou a minha "noite" por Berlim...fui primeiro com o Victor e com o Mark ao início do "PUBCRAWL", mas é quando vou ter com o Gaston que tudo muda e se torna espectacular...

 

Ele tinha conhecido durante a sua tour pela cidade, com guias espanhóis (eu acabara por ir com os ingleses), três espanholas que o convidaram a ir beber um copo a uma "winery" onde uma amiga delas que estagiava à 6 meses em Berlim ir-se-ia encontrar com elas. Aliás em casa da qual elas se encontravam hospedadas, pois elas estavam por Berlim apenas em visita de férias.

 

Os pormenores da noite...

 

Saímos na Berlim Oriental onde o hostel se localizava e procurámos a winery, aqui o vinho custa um euro e o que se paga é o copo, depois em função do bom serviço da equipa que serve os vinhos - desde brancos, verdes e tintos - em função disto deixa-se o valor que se acha gratificante pelo serviço à saída.

 

"Casinha" com muito bom aspecto, cheia de pessoas, mas não a abarrotar...e com uma companhia excelente, quatro espanholas: a Maria, a Cristina, a Ana e a Noélia.

 

A Maria da região de Huelva, vivia lá e era das três a mais velha, mas foi aquela que mais tentou conversar em português comigo...adorava músicas em português.

 

A Cristina primava pela beleza, mais nova que a Maria, também natural de Huelva, mas encontrava-se a trabalhar na PWC em Madrid.

 

A Ana era uma viajante excêntrica, também muito gira e natural de Huelva, mas que simultaneamente era muito estranha. Little beat strange, mas muito simpática.

 

A Noélia era a menos gira, mas  a mais simpática a melhor relações públicas e era a que se encontrava a estagiar em Berlim.

 

Da winery, fomos, já a noite estava velhinha, para um bar/disco típico da Berlim Oriental, desta feita só eu, a Maria, a Cristina, a Ana e o Gaston (na verdade foi mais um amigo delas, mas não me lembro o nome). Foi "desbundar" toda a noite até cerca das 4h da manhã.

 

Antes de tudo isto se passar e coincidência das coincidências eu e o Gaston íamos apanhar o mesmo voo para Amesterdão, então ainda antes de sairmos à noite e como nos faltava ver um dos maiores marcos de Berlim, ou seja, o campo de concentração de Berlim - Sachsenhausen. Como o nosso voo era cerca das 16h pensámos em fazê-lo muito cedo...resta-me dizer que o campo de concentração fica a cerca de 1h de distância do centro de Berlim e que abria as suas portas às 9h da manhã.

 

Então o que nós conjecturámos foi, vamos sair, como somos novos aguentamos deitar-nos tarde e levantarmo-nos cedo, por isso, acordamos por volta das 7h da manhã, deixamos as malas à saída do hostel e vamos ao campo de concentração nem que seja  só para tirar uma foto...

 

Voltamos ao hostel para buscar as malas e pormo-nos a caminho do aeroporto para levar as malas...isto convencidos de que veríamos o campo de concentração, tiraríamos fotos e não perderíamos fotos...

 

...mais 7 momentos por Berlim, alguns ainda acompanhados pela Kate, outros nem por isso:

 

Eis o tal edíficio que agora é o Ministério das Finanças da Alemanha...bem esta foto está muito má, mas só o está porque o edifício tem um tamanho gigantesco o que na minha misera lente fotográfica, a de uma máquina digital convencional, não conseguiria nunca caber

por: TMA 05/2008

Os carrinhos que se ambicionava que todos tivessem durante o regime instalado...será que todos tiveram um!? Eu tenho a minha resposta

por: TMA 05/2008

A parte feia do Muro de Berlim, mas foi o que consegui ver, esta parte é a do lado oriental. Está muito mal conservada porque quando a a Guerra Fria acabou e todos voltaram a poder ultrapassá-lo muito quiseram retirar um pouco do mesmo para ficar com um pedaço de história...daí estar neste estado...reparem também que do lado de lá, lado ocidental existem árvores, garanto-vos que do lado oriental as que existem contam-se...

por: TMA 05/2008

 

Eu do lado ocidental do Muro de Berlim...quase no centro da discórdia (hehe!), se estivesse ali noutras épocas o mais certo era morrer se passasse de um lado para o outro, mas agora somos todos amigos...há e nem aquele exemplar de uma marca conhecida estaria ali, a não ser que estivesse desfeito, mas agora já são/somos todos amiguinhos...reparem como não há árvores do lado oriental...

por: TMA 05/2008

Embora não pareça esta é a entrada de um prédio em Berlim, reparem na destruição feita por uma bombinha e, não, não era de mau-cheiro...e por uma balas...por Berlim existem três tipos de prédios, os totalmente novos e reconstruídos de raiz, os totalmente destruídos durante a II Grande Guerra Mundial e aqueles que se mantiveram intactos...que foram poucos.

por: TMA 05/2008

 

CheckPoint Charlie...depois almoço e até aqui acompanhado pela Kate

por: TMA 05/2008

 

Praça da Universidade em Berlim, aquele edifício em frente. Estas folhas de jornal que aqui vêem foi um memorial e homenagem ás vítimas do holocausto...de referir que um pouco atrás nesta praça existe um vidro no chão, com um tamanho considerável onde se encontra uma sala toda branca, com prateleiras completamente vazias...um memorial à destruição de obras literárias...é uma cidade cheia de história num misto de destruição e muita, muita boa disposição e ironia

por: TMA 05/2008

 

(...uma curiosidade. A Berlim oriental é mais feia e cinzenta que a ocidental, mais verdejante muito mais cuidada...aquilo que melhor caracteriza a primeira são os seus monumentos históricos, muitos deles destruídos e ainda há muitos prédios com  marcas da guerra, assim como a sinalização luminosa das ruas. O que caracteriza a segunda é a organização e a quantidade de verde que existe. Nota-se mal se chega ao muro de Berlim, às portas de Brandenburgo, etc.)

 

(...ainda irão ver mais fotos de Berlim...garanto-vos...votem vá...!!!hehe!)

a viagem:

publicado por Aubigné às 13:55
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 2 de Agosto de 2008

BERLIM - 14º Dia (Parte 1)

Berlim | 15 de Maio de 2008 | Parte 1 | continua...

 

Este  foi um dia longo por isso preparem-se para ler muito. Deixo uma opinião aos três leitores, se não quiserem ler, leiam na mesma (hehe!!) só o primeiro parágrafo do post da primeira parte e o último parágrafo do post da segunda parte, partes dedicadas a Berlim. Mas seria bom que o lessem os dois.

 

Aqui vamos nós...

 

Uma das razões que tornou Berlim uma das cidades mais interessantes na minha viagem, mesmo depois da minha curta passagem por lá, foi todo o ritmo alucinante que vivi enquanto lá estive, muito por culpa da Kate, do Gaston e do espírito da cidade. Passo a explicar!

 

Logo cedo, fui tomar o grande pequeno-almoço e prepara-me para, juntamente com a Kate e com o staff organizador das "free tours" começarmos a nossa jornada pela cidade de Berlim, enfim, pormo-nos a caminho. É importante referir que só aceitei fazer esta tour porque a mesma é toda realizada a pé.

 

Já nas Portas de Brandenburgo ponto de partida da "viagem", a pé, com direito a contacto visual e histórico da Berlim, foi-nos explicado o que eram, significavam e a simbologia das Portas de Brandenburgo, depois foi-nos dita a razão de ser da cúpula do parlamento Alemão que fica mesmo por trás das primeiras, fomos depois para um monumento memorial do holocausto, embora o seu criador diga que aquele monumento serve para cada um tirar a conclusão que quiser sobre o que imaginam que ele queira dizer, trata-se de um monumento a poucos metros da chancelaria de Hitler e no qual o líder Nazi supostamente cometeu o suicídio, é constituído por 2711 blocos de cimento todos com ângulos e tamanhos diferentes. Em frente a este monumento, está um enorme parque de estacionamento supostamente construído sobre o bunker de Hitler e à sua frente os prédios mais caros e mais indestrutíveis, onde só eram colocadas pessoas de confiança do governo alemão no pós segunda guerra mundial...

 

A tour continuou até à hora de almoço e eu e a Kate fomos sempre boa companhia um do outro, aliás se há coisa que tenho de admitir e dizer é que a Kate é uma querida e foi uma querida durante a viagem.

 

Depois do mais indestrutível conjunto habitacional de Berlim foi tempo de ver um dos prédios, de entre os muitos que foram ou estão destruídos devido aos ataques da II Guerra Mundial, dali continuámos para ver o Ministério da Gestapo e das SS, respectivamente o local em que se encontrava o serviço secreto e as tropas especiais de segurança Nazi, aqui demonstra-se um pouco da audácia e ironia comum às gentes de Berlim, como os alemães querem que se continue a odiar aquele local, agora é o actual Ministério das Finanças Alemão, ao fundo encontra-se o Muro de Berlim, eu vi apenas a parte velha e mais estragada do Muro de Berlim, reparem, na foto que vou colocar a propósito, na beleza que distância a Berlim Ocidental da Berlim Oriental, dali fomos até a um dos maiores ex-libris turísticos da cidade de Berlim o "CheckPoint-Charlie", existindo para além deste , mais três pontos que dividiam/separavam a Alemanha Ocidental da Alemanha Oriental.

 

Depois de toda esta caminhada foi tempo de partirmos para o almoço, para podermos continuar o nosso périplo pela cidade...para podermos não, para poder...

 

Após o almoço a Kate como tinha comboio para Estrasburgo teve de se ir embora...e daí em diante fiquei sozinho...

 

7 momentos por Berlim acompanhado pela Kate:

(mais fotos acerca deste dia por Berlim serão colocadas no post da parte 2)

 

Vista do Hotel Adlon e das multidões que faziam acompanhar as diferentes tours por Berlim, tudo na Porta de Brandenburgo

por: TMA 05/2008

Eu nas portas de Brandenburgo...como não podia deixar de ser

por: TMA 05/2008

O edifício com a bandeira da Alemanha é o Parlamento Alemão e aquela é a cúpula que refiro...o parlamento é visitado ao mesmo tempo que há sessões plenárias e os deputados alemães se olharem para cima vêem as pessoas que os elegeram para aquele lugar - relembrando-lhes o que fazem ali. É importante referir que a entrada é grátis

por: TMA 05/2008

Eis o tal monumento memorial do holocausto constituído por 2711 blocos de cimento

por: TMA 05/2008

Eu no memorial...há e aquela miúda que está aparecer ali atrás naquele bloco de cimento é a Kate, a única foto que tenho dela

por: TMA 05/2008

Memorial visto de cima de um dos blocos de cimento...ao fundo os tais prédios indestrutíveis (eu sei, feiooooos!!!!Mas é Berlim...), à frente dos mesmo localiza-se o tal parque de estacionamento sobre o Bunker de Hitler...há e aquela menina de vermelho era a minha guia

por: TMA 05/2008

Era assim que se queriam os laços entre as diferentes esferas sociais, políticos a cumprimentar trabalhadores e todos felizes, no entanto eis no que acabou por dar...todos sabemos!?

por: TMA 05/2008

 

(Garanto que no decorrer deste fim-de-semana colocarei fotos relativas a este dia...)

(conforme combinado aqui ficam as fotos) 

 

 

(Continua...)

a viagem:

publicado por Aubigné às 20:50
link do post | comentar | favorito

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30



.a viagem

. 3 "slide show" 3(3)

. agradecimentos(1)

. amesterdão(4)

. amigos(1)

. barcelona(5)

. barreiras(3)

. berlim(4)

. biarritz(4)

. dedicatória(1)

. destaque(2)

. dos...conhecidos(10)

. dos...de...portugal(1)

. extras...(17)

. lisboa(1)

. londres(4)

. madrid(4)

. mapa(1)

. melhores fotos(1)

. novo(2)

. o blog(1)

. paris(4)

. preparativos(5)

. projectos(1)

. roma(3)

. san sebastian/donostia(6)

. última imagem(1)

. ultrapassados os...(2)

. um pouco de diário...(1)

. veneza(2)

. viena(4)

. todas as tags

.o percurso

. NOVO BLOG

. BOAS FESTAS

. O vídeo...a passagem...o ...

. Será já amanhã...

. ...e como está...

. ...mesmo, mesmo aí...

. Elas estão quase aí...

. ...

. 3º "slides show" 3

. 2º slide show de 3

. ...excelente...outra vez!

. ...bom dia...

. ...

. 3...

. Fiquei hoje a saber...

. Está demorado, bem sei...

. Também tenho saudades...

. Quase novidades...

. A imaginação...

. Curiosos...?

.arquivos

. Maio 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.links

.subscrever feeds

.c. v. resumido

Currículo Vitae
Tiago Maria d' Aubigné
Contacto
tiagorib@hotmail.com
Dados Pessoais
Nascido em 1981
Experiência Profissional
07/2008 até ao momento - Colaborador da Multipessoal-Sociedade de Prestação e Gestão de Serviços do Grupo Espírito Santo exercendo a função de Gestor Comercial na sua área de especialização, isto é, Recursos Humanos
10/2006 a 04/2008 - Colaborador Independente do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), no âmbito da Presidência Portuguesa da União Europeia
11/2005 a 09/2006 - Colaborador numa empresa de Consulturia Fiscal, como Tax Consultant
02/2005 a 08/2005 - Estágio Curricular no instituto Nacional de Administração (INA) no âmbito das Novas Tecnologias da Informação
Formação Académica
10/2005 a 10/2006 - Pós-Graduado em Economia e Políticas Públicas pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE)
10/2001 a 10/2005 - Licenciado em Gestão e Administração Pública pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), média final de curso 14 valores
Outras Informações Disponibilidade total
Flexibilidade de horários
Habituado a viajar pelo país e pelo estrangeiro
Muito bom nível de inglês falado, lido e compreendido
Muito bom nível de espanhol/castelhano falado, lido e compreendido
Excelentes capacidades de comunicação
Não fumador
Praticante de diversos desportos
A viagem...
Considera esta a primeira e melhor de muitas viagens que pretende fazer, quanto mais não seja pela genialidade de ter sido completamente inovador em viajar por um mês sempre de avião
Futuro...
...considera-a uma palavra muito logínqua e intemporal. Mas como qualquer "viajante" perspectiva sempre uma nova viagem, desta vez por...mas sempre com muitas novidades!