Terça-feira, 19 de Agosto de 2008

AMESTERDÃO - 18º Dia

Amesterdão | 19 de Maio de 2008

 

Estes foram os meus últimos momentos por Amesterdão, toda uma manhã passada numa lavandaria a lavar a roupa de 17 dias atrasados.

 

Vou poupar-vos a pormenores, ou não?! Não...

 

Calças de ganga muito russas...e não vou continuar...mas o que importa é que a higiene diária nunca foi descurada, por isso, sempre limpíssimo e a roupa interior sempre muito limpa, dada a quantidade que acabei por levar desta.

 

Foi nesta Laundry que conheci um grupo de older's australianos, mas que vida a daqueles senhores e senhoras...um deles sentou-se a meu lado e falámos descontraidamente sobre tudo (eu falei com todos, mas foi este aquele com quem mais falei)...era escritor...Frank Ainslie...falar-vos-ei mais deles num post sobre os dos...conhecidos por Amesterdão.

 

Esta estada na lavandaria com seis máquinas, três de lavar e três de secar, foi óptima. Já se encontrava cheia às 10h da manhã, hora da abertura, já se encontravam lá os Australianos, mas estava cheia de uma roupa muito heterogénea que era...advinhem de quem/onde? A roupa do hostel e a dos Australianos.

 

Tinha pela frente 2h para as duas máquinas e 6,50 € gastos.

 

Ora, pouco tempo depois de estar na lavandaria e de já ter privado um pouco com os colegas australianos entra uma "figura" pela lavandaria a dentro, uma senhora com um ar estranho que saca de um rádio daqueles portáteis o q.b., liga-o à corrente, dentro de um saco trazia mil CD's (exagerando), algo diversos, mas com a devida predominância de um músico de que eu não me lembro o nome (um artista dos anos 70). Colocando um CD desse artista dentro do respectivo compartimento, coloca aquilo em altos berros e literalmente pôs-se a cantar também em altos berros...foi assim durante 1h30m, no mínimo...enquanto essa senhora esvaziava as máquinas que tinha enchido, colocava mais roupa e dobrava aquela que já estava pronta...toda a manhã nisto...

 

Isto é a mais pura das verdades...entretanto os meus "compinhchas" australianos partiram para o seu destino seguinte Hamburgo e eu lá fiquei.

 

Depois da roupa lavada, seca e colocada dentro da mala, desci até ao lounge, coloquei a mala num cacifo e fui almoçar. Onde? No Wok to Walk (adorei esta cadeia e conceito).

 

Já atrasadíssimo, fui ao hostel, ao tentar retirar a mala do cacifo, esqueci-me da password (a velhice é tramada...possas!), tive de recorrer aos serviços da recepção para a sacar lá de dentro. Escrevi os postais a correr (única vez em que se deu este fenómeno...), coloquei-os dentro de um marco do correio dentro do hostel e pus-me a andar...

 

...de "Tram" até à Central Station. Destino aeroporto de Schipool...

 

No aeroporto eu comecei a adoptar a postura de ficar sempre sentado no chão enquanto esperava um voo, que saudades tenho desses momento...mas vão voltar a acontecer...certamente.

 

(parece que me estou a ver, sentado no chão a olhar para o ecrã do aeroporto de Schipool, já no corredor de embarque à espera de saber qual a porta de embarque correspondente ao meu voo, tudo para poder partir em direcção a Londres...em muito isto me define! Eu acho...desculpem a imodéstia)

 

...últimos momentos na DisneyLandia para adultos (Amesterdão):

 

Eu na ponte Franz Hendriksz Oetgenbrug e lá atrás a Magere Brug um ex-libris...olhem para esta pose...tchhhh

por: TMA 05/2008

De novo, para não ser repetitivo, junto ao dique que dá acesso à Magere Brug...numa pose muito melhor

por: TMA 05/2008

Eu no Nieuwe Markt, claramente com ar de mal disposto...hehe (não sei porquê! Tenho é a certeza de que, fosse lá o que fosse, não merecia tal indisposição)

por: TMA 05/2008

O madretsma I de novo...e eu ali pelo meio encostado...

por: TMA 05/2008

Um prédio com uma construção e portadas exteriores ex-libris da cidade de Amesterdão...fica na Prinsengracht

por: TMA 05/2008

Uma...não...duas bicicletas altamente personalizadas por Amesterdão...aqui é assim...mas também não é por acaso que esta é a cidade da Europa em que mais se roubam bicicletas...e em que mais se utilizam como meio de transporte.

por: TMA 05/2008

Este foi o único local na Holanda que sofreu um ataque no decorrer da II Guerra Mundial, destruindo-se o prédio que aqui se encontrava de pé. As autoridades Holandesas entenderam que não se deveria construir outro prédio neste espaço e, em vez disso, optaram por construir esta fachada que tem a seguinte inscrição no topo: "HOMO SAPIENS NON URINAT IN VENTUM", escusado será replicar o que a mesma quer dizer...vejam o espírito...excelente

por: TMA 05/2008

 

 

Mais um conjunto de cinco postais enviados, quentinhos, de Amesterdão para Portugal...este foi o conjunto que escrevi mais á pressa, dado que estava em cima da hora para ir a correr para o aeroporto de Schipool apanhar avião para Gatwick-Londres, depois de ter passado a manhã na lavandaria do hostel, escrevi-os a correr no lounge...para...

 

...a minha mãe, Ritinha, Ana Sofia, Margarida e eu...aqui fica a sua face. 

 

Eis o postal enviado a partir de Amesterdão.

 

a viagem:

publicado por Aubigné às 16:01
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 17 de Agosto de 2008

AMESTERDÃO - 17º Dia

Amesterdão | 18 de Maio de 2008

 

Mais um dia, mais uma volta, mais uma ficha...Amesterdão.

 

Esta cidade é um espanto embora eu coloque sempre a tónica de achar que ela está feita para os visitantes/estrangeiros, não para os locais...

 

Este foi um dia mais solarengo por Amesterdão, ainda assim foi um dia algo frio.

 

Da parte da manhã, fui pela Spui Strasse, passando pela Raadhuis Strasse para chegar à Prinsengracht onde se encontra a famosa casa de Anne Frank (Huis), depois ainda passei pela Noorder Kerk e depois, um pouco perdido, porque também sabe bem perdermo-nos, fui acabar na Brouwersgracht onde tirei aquela foto daquela montra cheia de queijos.

 

Depois fui acabar a manhã na Dam Rak (depois de passar por Korte Prinsengracht, pela Haarlemmer Strasse, pela Nieuwenduk e finalmente Dam Rak). Ainda dei, por isso, mais uma volta pelo centro da cidade, acabando por ir almoçar onde?

 

De novo no adversário de peso do palhaço alegre. É verdade. (Estão a contar?!)

 

Neste dia, depois do almoço, ainda fui dar uma volta pelo quarteirão dos museus onde se pode encontrar o Rijks Museum, o Van Gogh Museum, outras atracções como o I amesterdam, depois fui à antiga fábrica de cerveja da Heineken, actualmente desactivada, mas que ainda se pode visitar para ver como é feita a cervejav - esse liquido dos deuses. Passei ainda pelo Albert Cuyp Markt, passei pelo Nederlandse Bank, pela Magere Brug (ponte), passei pela Waterloo Plein, pela Sinagoga Portuguesa em Amesterdão, pelo Muziektheater, pelo Rembrandt Huis, chegando ao Nieuwe Markt.

 

Regressei ao hostel e foi ali que conheci a maior comunidade de brasileiros de toda a viagem, cerca de 8, comigo 9, entre raparigas normais e profissionais, foi excelente o convívio durante parte da tarde e noite, tão porreiro que ia perdendo a noção de que precisava de jantar...entre eles estavam a Viviane e o Luciano (...estes já os tinha conhecido muito antes, aliás a Viviane e o Luciano já tinham vindo comigo de Berlim, mas eu não tinha dado conta. Ela até me pediu à saída de Berlim para lhe tirar uma foto junto ao avião da Transavia...coincidências!?).

 

Entretanto parei a meio o bom convívio para ir jantar, dado que já não comia à muito...e acreditem não fui comer ao palhaço alegre...em vez disso fui comer a uma cadeia de restaurantes que eu não sei se já existe por Portugal - Wok To Walk - é muito bom e se não existe tem de pelo menos abrir um para eu ir lá comer. Aquilo é comida chinesa feita à nossa frente, em ponto rápido...dá para levar ou para comer no restaurante...e é barato. Melhor do que isto, e para melhorar ainda a noite, foi ficar a saber que uma das raparigas que servia lá no Wok to Walk era portuguesa - a Joana - perguntei-lhe porque trabalhava ali e ela respondeu: - porque numa semana aqui ganho o mesmo que num mês ganharia, a fazer o mesmo, em Portugal. Percebem porque é que somos pobres...ela trabalhava a servir num restaurante, não era ilegal e ganhava o quádruplo de um português que faça exactamente o mesmo, ou seja, ela se quiser ser uma viajante talvez possa fazê-lo sendo mais livre que eu...ganha mais!!!

 

Regressei de novo ao hostel e, como tinha combinado com eles, ficámos na conversa até cerca da 1h da manhã.

 

Chegada a hora de dormir porque amanhã é dia de ir para uma das maiores cosmopolitas da Europa - Londres. Tampões nos ouvidos e como não ia logo de manhã...

 

...mais momentos por Amesterdão:

 

 

Rijks Museum - Amesterdão

por: TMA 05/2008

 

I amesterdam em frente ao Rijks Museum e ao lado do Van Gogh Museum, este é um ex-libris de Amesterdão...eu, embora não se veja, estou dentro da bolinha do d (hehe!)

por: TMA 05/2008

 

...eu não sou pessoa de me ficar por uma, de novo o I amesterdam...e aquele que está sentado na bolinha do d...sou eu

por: TMA 05/2008

 

No lago em frente ao Rijks Museum a fazer uma pose...nada de viajante até agora...

por: TMA 05/2008

 

Agora já no Van Gogh Museum que é no mesmo local do anterior, aliás a este espaço em Amesterdão chama-se o quarteirão dos museus, porque será?

por: TMA 05/2008

 

De novo no Van Gogh Museum agora ao lado de um Outdoor com o artista...e que grande pintor...esta já do lado da entrada do museu

por: TMA 05/2008

 

Mais uma foto no quarteirão do museus...que foto hem!

por: TMA 05/2008

 

A fábrica de cervajas da Heineken em Amesterdão, nesta foto está a parte antiga da fábrica que se encontra desactivada mas serve de ponto turístico para quem visita a cidade. Fica mesmo em frente a um dique...conhecem a Heineken? hehe!

por: TMA 05/2008

 

obs-...por entre o grupo de brasileiros houve várias dicas que me foram dadas para ver e quando ver em Londres determinados ex-libris, dado que havia quem tivesse vindo de lá no dia anterior.

a viagem:

publicado por Aubigné às 19:04
link do post | comentar | favorito
Sábado, 16 de Agosto de 2008

AMESTERDÃO - 16º Dia

Amesterdão | 17 de Maio de 2008

 

Esqueci-me de referir no post anterior que logo no primeiro dia por Amesterdão conheci o Luciano Dias e a Viviane, ambos brasileiros. Ele estava a dormir na camarata em que eu fiquei...e aproveito para acrescentar, antes de partir para o dia 17 de Maio, que Amesterdão foi das cidades em que estive mais sozinho (sei que se trata de um redundância dado que viajei sozinho! hehe)...embora tudo viesse a mudar nas últimas horas por lá.

 

Este foi um dia excelente e acrescento que com a cidade de Amesterdão é fácil criar-se uma rápida e gira empatia...

 

Hoje dediquei-me aos monumentos e ao sexo, vi praticamente todos os principais monumentos de Amesterdão, fui a um dos museus do sexo, fui ver sex shop's e fui ao Red Ligth District.

 

É espantoso como numa cidade é possível conciliar-se o sexo, com a droga e a party all nigth long e, como se não bastasse tudo é permitido. Enfim, trata-se verdadeiramente de uma Disneyland para adultos.

 

Fui desde cedo passear, passei pelo mercado das flores, Munttoren, pelo museu de história, pelo Madame Tussauds de Amesterdão, National Monument, Nieuwe Kork, Koninklijk Paleis e, finalmente, o Red Ligth District. Tinha de ser, claro...

 

Apontamento: em Portugal existem as castanhas dentro do típico cone que, agora já não podem ser dentro do papel das Páginas Amarelas, lá é o mesmo mas com batatas fritas...vocês não imaginam o tamanho daquilo e a quantidade absurda de maionese.

 

O Red Ligth District:

 

A qualquer hora do dia, mas especialmente de noite, aquele espaço é uma verdadeira animação, para cada lado que olharem vêem sempre mulheres a cativarem-vos para entrar pelas suas montras a dentro, quer sejam vocês homens ou mulheres. Obviamente que aquele é um espaço mais frequentado por homens.

 

Mas o que me deixou estupefacto é que imaginava aqueles espaço como algo deteriorado, com mulheres com mau aspecto, mas não!

 

Há lá prostitutas que são mulheres giras, fiquei estúpido com a beleza de algumas, com o silicone de outras e com piroseira e falta de beleza das restantes, que com o dedo indicador nos chamam para entrar na sua cabine...

 

Imaginem isto na vossa cabeça quer seja ela perversa ou não (hehe!)...um conjunto de ruas esguias cheias de cabines ou montras com mulheres lá dentro, cá fora um  monte de homens e algumas mulheres, elas (as mulheres) seminuas a fazerem-vos o sinal com indicador de venham cá falar comigo, um cheiro exorbitante a "ervas daninhas" vindo das coffee shop's ou daqueles que as fumam no meio da rua e, como se não bastasse, sempre que algum homem se dirigia a uma porta de uma prostituta que lhes acenava com o dedo e, caso ele aceitasse o preço que ela havia estabelecido, eis que se fechava a cortina da montra em que ela estava...se lá passassem uns minutos depois já estava de novo aberta...eis o conceito do que é "lucrar".

 

Não levem a mal esta descrição, mas é que o Red Ligth District é mesmo isto...tanto que saindo daquele espaço tudo regressa à pacatez, como se nada acontecesse naquelas paredes meias. Abundam as Sex Shop's por aquele local.

 

Têm de lá ir...vão gostar...é incrível como a prostituição é levada como algo normal ali é encarado, claramente, como um negócio, em que até as prostitutas me parecem escolhidas a dedo para posarem por trás daqueles vidros.

 

Voltando à pacatez...na minha camarata estava um tipo que ressonava tão alto, mas tão alto que até a própria namorada que dormia na cama debaixo do beliche em que eles estavam tinha de bater com o pé (mas ao pontapé!!) para ver se o tipo parava um bocadinho. Eu como vos disse levei uns tampões que reduzem a emissão de ruídos no decurso da noite...ouvia-o mas muito ao longe.

 

Fiquei a saber do fenómeno pelo meu colega Grego que estava a ver-se grego para dormir por causa disso, mais à frente falar-vos-ei dele...

 

E acabei por jantar. Onde? Não desta vez não foi no palhaço alegre, foi num adversário de peso...(por isso podem juntar à conta).

 

Dei mais uma volta pela cidade à noite e regressei ao hoste, fui para a cama escrever, ouvir musíca e dormir.

 

...mais 8 momentos por Amesterdão:

 

Um memorial, verdadeira obra de arte...e aquele lá no meio com mais ar de gaseados que eles sou eu...vejam a capinha

por: TMA 05/2008 

Eu na entrada do Theater Tuschinski é lindíssimo

por: TMA 05/2008

Eu no SEXMUSEUM...o que eu fui ver, porque há mais...e o Red Ligth District está minado de sexo...como já disse cumpri a regra de não se tirar fotos lá

por: 05/2008

Dentro do SEXMUSEUM...há é verdade não vou colocar aqui imagens pornográficas, mas tenho algumas

por: TMA 05/2008

Dentro do SEXMUSEUM existiam uns telefones e muito mais coisas verdadeiramente obscenas...mas é impossível vir a esta cidade e não vivê-las ao máximo...a propósito as raparigas ao meu lado são mesmo de verdade, não são de cera

por: TMA 05/2008

As referências ao amor e ao Peace & Love são tão grandes que nem este casalinho de patinhos resistiu a fazer um ninho dentro de um pneu, num dos muitos diques de Amesterdão...o amor é lindo...digam lá? É ou não é?

por: TMA 05/2008

Eu em Amesterdão...hehe!

por: TMA 05/2008

Este jogo de Xadrez/Damas é um ex-libris de Amesterdão, tinha de passar por ele todos os dias para poder ir para o hostel, ou para o centro da cidade...tinha sempre um cheirinho tão activo a "ervas daninhas", mas jogava-se a sério...e tinha muita, muita claque

por: TMA 05/2008

 

a viagem:

publicado por Aubigné às 18:59
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 13 de Agosto de 2008

AMESTERDÃO - 15º Dia

Amesterdão | 16 de Maio de 2008

 

Um voo pela companhia aérea Transavia que como já referi partiu com quase uma 1h30 de atraso, foi um voo todo feito por entre nuvens. logo foi "cinzentinho"...eu acabei por ficar num dos lugares da frente do avião e o Gaston ficou num dos lugares de trás.

 

Aqui vamos nós atrás de um dos maiores e mais sofisticados aeroportos - o Schipool em Amesterdão - e de uma das cidades mais loucas e mais livres do mundo...

 

Venha de lá Amesterdão...

 

No dia da chegada pouco consegui fazer, assim que pus os pés em Amesterdão, a não ser:

  • apanhar o comboio desde o aeroporto de Schipool para a "Central Station" de Amesterdão;
  • a chegada à "Central Station" é sempre um momento a recordar, não só pelo número de bicicletas paradas em mais do que um andar (imaginem um parque de estacionamento de automóveis, na vertical, em Portugal. É isso mesmo, mas para bicicletas) e depois porque nos deparamos com as famosas "Coffee Shop's", mas é que é logo!!!
  • tudo isto acompanhado pelo Gaston que foi comigo apanhar o "Tram" (elétrico), outra coisa incrível é que foi o próprio  condutor do "Tram" que me convenceu a não comprar bilhete só por perceber que eu era estrangeiro, excelente;
  • Entretanto o Gaston saiu e desde então nunca mais o voltei a ver...
  • chegado ao meu local de paragem - O Vondelpark - percorri o caminho que tinha de percorrer para chegar ao hostel, ainda tive de andar um pouco com 20 quilos às costas ou em cima;

Este hostel fica inserido numa zona verde da cidade de Amesterdão muito bonita, o ambiente é óptimo e o asseio é relativo, assim como a simpatia do staff, enfim, nada comparado com a cadeia anterior de hosteis (entre Viena e Berlim).

 

Mas fora de críticas, numa tarde chuvosa por Amesterdão, parei um pouco pelo hostel para descansar e rapidamente retomei energias para começar a caminhar...ainda fui visitar uma das principais avenidas de Amesterdão (Liedse strasse)...tudo com o objectivo de ir jantar!

 

Enquanto fui dar esta volta passei pelo Mercado das Flores, pela Munttoren, vi logo pelo menos 5 diques (não fosse a Holanda a cidade construída abaixo do nível do mar), o Hard Rock de Amesterdão, o jogo de Xadrez e Damas em frente ao mesmo, o único sítio da Holanda que foi bombardeado no decorrer da II Guerra Mundial, muitos urinóis públicos ao ar livre, muita diversão, muita gente com fuminhos mandados para a testa e, para além de muito cheirinhos a ervas especiais dado o número de "Coffee Shop's" , tive de necessariamente de passar pelo Vondelpark (o hostel era lá dentro).

 

E adivinhem onde Jantei? (estão a contar?)...no palhaço alegre mais uma vez, é verdade!

 

Depois disto acabei por, mais hora, menos hora ir descansar...

 

Obs: Eu sou um "Straigthedger", não fumo, não bebo (a não ser que me apeteça muito...) e não me drogo...pelo menos não até agora...logo estou mal para as "Coffee Shop's".

 

Obs1: Como curiosidade, Amesterdão é a cidade com maior número de roubos de bicicletas, vocês não imaginam o número e a quantidade de bicicletas que existem nesta Cidade construída acima do nível do mar!!!!

 

Obs2: Devo dizer-vos que até gostei de Amesterdão num primeiro contacto, mas tenho pena que aquilo de que ouvimos falar que esta cidade é seja mais vivido por estrangeiros e imigrantes do que pelos locais. Isso desvirtua a clara razão de ser de uma cidade, país ou nação.

 

Obs3: Há...e não dêem demasiada importância ao facto de andar de capa azul por Amesterdão, sei que pareço um "alien", mas estava a chover e fazia muito frio em pleno Maio, eu como não tinha chapéu de chuva andava, por opção, a fazer figuras...mas pouco me importa. Como por vezes parava de chover e eu não tinha paciência para tirar a capa, estive com ela quase sempre vestida.

 

9 momentos que refletem a minha estada em Amesterdão:

 

Edifíco da Central Station (Station Plein) - Principal estação de caminhos de ferro de Amesterdão (é pena mas encontrava-se em obras a rua à sua frente não permitindo tirar fotos em condições)

por: TMA 05/2008

DamRak - principal venida de Amesterdão, aqui a uns passos do lado direito desta foto é o "Red Ligth District". Antes de se chegar aqui vindo do Vondelpark temos de passar pela avenida Rokin e por aquela que vai dar o Vondelpark a avenida Leidse. (enfim todas avenidas muito movimentadas)

por: TMA 05/2008

Construção tipíca de Amesterdão, muito engraçada e original

por: TMA 05/2008

Reparem no quão direito este prédio foi construído, aquele corcunda ali a segurar no prédio sou eu com ar de Notre Dame

por: TMA 05/2008

Entrada do Vondelpark, principal parque da cidade de Amesterdão. O hostel é na parte de dentro deste jardim

por: TMA 05/2008

 

O Hostel - StayOkay Vondelpark...e eu...

por: TMA 05/2008

 

Mercado das Flores, aquela bonita torrezinha lá atrás é um ex-libris da cidade de Amesterdão (Munttoren)

por: TMA 05/2008

 

Mais um Hard Rock, este o de Amesterdão...vi tantos, hehe!

por: TMA 05/2008

 

Tanto queijo e com tão bom aspecto, numa pequena lojinha, numa rua muito secundária de Amesterdão (deu para ficar esquecido ou isso era do cheiro a fuminhos que vinha das "Coffee Shop's"

por: TMA 05/2008

 

Obs4: nem todas as fotos expostas neste post correspondem ao que visitei ou ao que vi neste dia à chegada...nem nos outros posts sobre Amesterdão corresponderão.

 

Obs5: eu optei por não tirar fotos do "Red Ligth District", mas fui lá ver, para ver com os meus olhos aquela realidade. Não tão chocante como se possa pensar...foi no segundo dia que visitei o Distrito Vermelho. hehe!

 

ps- nunca tinha escrito um post com tantas observações...

a viagem:

publicado por Aubigné às 21:35
link do post | comentar | favorito

.Maio 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30



.a viagem

. 3 "slide show" 3(3)

. agradecimentos(1)

. amesterdão(4)

. amigos(1)

. barcelona(5)

. barreiras(3)

. berlim(4)

. biarritz(4)

. dedicatória(1)

. destaque(2)

. dos...conhecidos(10)

. dos...de...portugal(1)

. extras...(17)

. lisboa(1)

. londres(4)

. madrid(4)

. mapa(1)

. melhores fotos(1)

. novo(2)

. o blog(1)

. paris(4)

. preparativos(5)

. projectos(1)

. roma(3)

. san sebastian/donostia(6)

. última imagem(1)

. ultrapassados os...(2)

. um pouco de diário...(1)

. veneza(2)

. viena(4)

. todas as tags

.o percurso

. AMESTERDÃO - 18º Dia

. AMESTERDÃO - 17º Dia

. AMESTERDÃO - 16º Dia

. AMESTERDÃO - 15º Dia

.arquivos

. Maio 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

.links

.subscrever feeds

.músicas em viagem

.c. v. resumido

Currículo Vitae
Tiago Maria d' Aubigné
Contacto
tiagorib@hotmail.com
Dados Pessoais
Nascido em 1981
Experiência Profissional
07/2008 até ao momento - Colaborador da Multipessoal-Sociedade de Prestação e Gestão de Serviços do Grupo Espírito Santo exercendo a função de Gestor Comercial na sua área de especialização, isto é, Recursos Humanos
10/2006 a 04/2008 - Colaborador Independente do Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE), no âmbito da Presidência Portuguesa da União Europeia
11/2005 a 09/2006 - Colaborador numa empresa de Consulturia Fiscal, como Tax Consultant
02/2005 a 08/2005 - Estágio Curricular no instituto Nacional de Administração (INA) no âmbito das Novas Tecnologias da Informação
Formação Académica
10/2005 a 10/2006 - Pós-Graduado em Economia e Políticas Públicas pelo Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE)
10/2001 a 10/2005 - Licenciado em Gestão e Administração Pública pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), média final de curso 14 valores
Outras Informações Disponibilidade total
Flexibilidade de horários
Habituado a viajar pelo país e pelo estrangeiro
Muito bom nível de inglês falado, lido e compreendido
Muito bom nível de espanhol/castelhano falado, lido e compreendido
Excelentes capacidades de comunicação
Não fumador
Praticante de diversos desportos
A viagem...
Considera esta a primeira e melhor de muitas viagens que pretende fazer, quanto mais não seja pela genialidade de ter sido completamente inovador em viajar por um mês sempre de avião
Futuro...
...considera-a uma palavra muito logínqua e intemporal. Mas como qualquer "viajante" perspectiva sempre uma nova viagem, desta vez por...mas sempre com muitas novidades!
free counter
free hit counter